Quinta, 22 Julho 2021 15:31

OPERAÇÃO ACALENTO: Treze pessoas foram presas em Roraima por violência contra crianças e adolescentes

 
A Polícia Civil apresentou na manhã desta sexta-feira (16), o resultado da “Operação Acalento”, lançada pelo MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) no dia 04 de junho em todo o País, em alusão ao Dia Internacional das Crianças Inocentes Vítimas de Agressão, definido em 1982 pela ONU (Organização das Nações Unidas). A operação tem por objetivo combater crimes de violência contra crianças e adolescentes. Em Roraima foram realizadas visitas, atendimento às vítimas de violência e efetivadas 13 prisões.
A ação é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Seopi (Secretaria de Operações Integradas) em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Considerada inédita no Brasil, ocorre nos 26 estados e no Distrito Federal.
Em Roraima a operação foi determinada pela Delegacia Geral de Polícia, com a coordenação geral do DPE (Departamento de Polícia Especializado) e coordenação local do NPCA (Núcleo de Proteção a Criança e Adolescente). Ao longo dos dias de trabalho, as ações contaram com a participação de policiais civis na Capital e no Interior. Nesta sexta-feira, considerado o dia “D” da operação, para encerrar os trabalhos foi deflagrada uma ação em Boa Vista, que contou com a participação de 30 policiais lotados em diversas Delegacias da Capital. Foram realizadas diligências para cumprir cinco mandados de prisão.
A diretora do DPE, delegada Elivânia Aguiar, apresentou os resultados dos trabalhos. Foram realizadas 590 visitas e diligências policiais, atendidas 120 vítimas de violência sexual, lavrados 22 TCOs (Termos Circunstanciados de Ocorrências) por infrações diversas, lavrados três APFs (Autos de Prisões em Flagrante) e cumpridos 10 mandados de prisão preventiva, totalizando na prisão de treze pessoas.
“A Operação Acalento envolveu policiais civis de todo o Brasil. Iniciamos a operação no dia 04 de junho e hoje estamos finalizando, com resultados bastante positivos. A Polícia Civil, por meio do Núcleo de Proteção a Criança e o Adolescente, continua o trabalho de combate e repressão aos crimes contra crianças e adolescentes. Oriento a qualquer pessoa que saiba sobre praticas de violência contra essas vítimas que procure a Polícia para denunciar ou que faça contato pelo Disque 100, que é uma denúncia anônima e nós vamos investigar”, disse a delegada.