Sexta, 30 Abril 2021 19:41

CANTÁ: Polícia Civil esclarece homicídio e prende suspeito do crime

CANTÁ: Polícia Civil esclarece homicídio e prende suspeito do crime Ascom/Polícia Civil

A equipe da Polícia Civil, no município de Cantá, esclareceu o assassinato de João Felipe de Oliveira Neto, de 30 anos, ocorrido na madrugada do dia 08 de março deste ano, próximo à Vila Central. Na manhã desta sexta-feira, dia 30, os policiais cumpriram um mandado de prisão preventiva, contra L.S.L, vulgo “Mucuin”, de 19 anos, principal suspeito do crime. Outros dois suspeitos de participação no crime estão sendo procurados.

De acordo com informações prestadas pelo delegado titular do município do Cantá, Ronaldo Sciotti, uma testemunha e amigo da vítima relatou que ambos ingeriam bebida alcoólica numa quadra de esportes, no início da noite anterior ao crime, quando foram agredidos com socos por Mucuin e mais dois homens, que foram identificados pela Polícia Civil como J.B.T e M.S.S. A agressão teria sido motivada por desavenças antigas entre Mucuin e a vítima.

A testemunha e a vítima, ao retornarem para casa, já na madrugada, foram surpreendidas novamente pelos três homens, que avançaram contra João Felipe, matando-o a facadas e com golpes de uma garrafa de vidro quebrada.

Com medo dos agressores, a testemunha relatou que fugiu e se escondeu numa mata. Momentos depois ele retornou ao local em que seu amigo foi agredido e encontrou seu corpo caído e acionou a Polícia.

Ao chegarem ao local os policias de imediato iniciaram as diligências para identificar e localizar os autores do crime. Próximo ao corpo da vítima foi encontrada a faca utilizada no crime.

Com as investigações foi comprovado que a faca era da mãe do suspeito de J.B.T. , que foi ouvida e relatou que o filho, em companhia de L. S. L., logo após o crime, foram até sua casa e fugiram em seguida.

Em seu interrogatório, o suspeito J.B.T., amigo de L. S. L., confirmou ter agredido a vítima por duas vezes, e que a motivação teria sido por ter escutado gritos da esposa da vítima, que estaria sendo agredida por ele.

O delegado Ronaldo Sciotti representou pela prisão preventiva de L. S. L., que foi decretada pela Justiça. Para o delegado, a autoria e a motivação do crime foi esclarecida.

O delegado disse ainda que durante as investigações foi possível confirmar que os suspeitos têm ligação com o crime organizado. L. S. L., foi indiciado por homicídio qualificado e apresentado para audiência de Custódia.