Quinta, 29 Abril 2021 18:43

Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra suspeito de estupro

Na delegacia a vítima solicitou uma Medida Protetiva de Urgência por temer pela própria vida. Na delegacia a vítima solicitou uma Medida Protetiva de Urgência por temer pela própria vida. Ascom/Polícia Civil

Na manhã desta quinta-feira, dia 29, policiais lotados no SIOP (Setor de Investigação e Operação) da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) cumpriram um mandado de prisão preventiva contra o ajudante de obras B.S.M., de 30 anos, acusado de ter estuprado a jovem A.T.B.B., de 18 anos, no dia 13 de abril deste ano.

De acordo com informações da delegada titular da Deam, Jaira Farias, após ser estuprada e violentada, a jovem foi à Unidade Especializada, ocasião em que se iniciaram as investigações.

Conforme o relato da vítima, no dia do crime, o suspeito, que é cunhado de sua tia, fez convite para ir beber com a família e comemorar o aniversário de uma tia.

“Ele a buscou em casa, por voltas das 21 horas. No caminho a vítima percebeu que ele não estava fazendo a rota correta. Foi quando ela o confrontou e o homem a sufocou com as mãos em seu pescoço até que ela apagou”, disse a delegada.

Ainda em seu relato, a vítima contou que ao acordar percebeu que estava em um balneário no bairro Cidade Satélite. Ela conta que tentou fugir, mas o acusado a alcançou e lhe desferiu um soco no nariz, sufocando-a novamente.

“Ela então apagou mais uma vez e quando acordou ele estava em cima dela, estuprando-a. Ela pediu para que ele parasse, pois estava sentindo dores, ele a ameaçou e se recusou a parar”, detalhou a delegada.

Em seguida o homem a colocou de volta no veículo e a deixou na esquina da residência de sua sogra. A jovem ficou com lesões no nariz, língua, joelho direito, antebraço esquerdo, dores intensas na barriga e sangramento vaginal.

Na delegacia, ela solicitou uma MPU (Medida Protetiva de Urgência) por temer pela própria vida.

“A vítima foi encaminhada ao IML (Instituto Médico Legal) para a realização do exame de conjunção carnal e também das lesões no corpo. A violência causada foi tão grande que ela ficou com hemorragia intensa, necessitando ser encaminhada à maternidade para atendimento médico. A partir daí nós representamos pela prisão preventiva do suspeito no Judiciário, que prontamente nos atendeu expedindo o mandado de prisão”, explicou Jaira Farias.

Na manhã desta quinta-feira o suspeito esteve na DEAM, para ser qualificado e interrogado, ocasiao em que recebeu voz de prisão.

Ele foi apresentado na Custódia da Polícia Civil de Roraima.