Sexta, 26 Março 2021 21:04

Ministério da Saúde confirma para abril vacinação de profissionais de segurança pública

Ministério da Saúde confirma para abril vacinação de profissionais de segurança pública Ascom/Polícia Civil

O assessor especial do MS (Ministério da Saúde), Airton Soligo, confirmou no final da manhã desta quinta-feira, 25, ao delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso, que foram adotadas medidas para que todos os servidores do sistema de segurança pública de Roraima, o que inclui os policiais civis, sejam vacinados contra a Covid-19.

O delegado geral solicitou por ofício no dia 18 de fevereiro ao então ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, que fosse dada a prioridade para vacinar os profissionais da segurança pública, uma vez que são servidores que estão na linha de frente no combate ao crime.

Segundo Cardoso, dentre os profissionais da PCRR (Polícia Civil de Roraima) estão policiais, servidores administrativos e do quadro da União que prestam serviço nas mais diversas unidades da instituição. “Solicitamos ao então ministro para que fosse dada prioridade na vacinação aos policiais, devido ao grande risco que enfrentam diariamente, pois estão na linha de frente trabalhando no combate ao crime”, afirmou.

Conforme o delegado geral, mesmo diante de toda a problemática de risco e exposição à infecção, enfrentada durante todo esse período de pandemia, a Polícia Civil de Roraima, atividade essencial de Estado, manteve e continua mantendo o firme compromisso no atendimento à população. “Nós tivemos um expressivo número de policiais que estão de atestado médico por causa da covid-19 e outros que vieram a óbito”, disse.

No início da tarde desta quinta-feira, Airton Soligo manteve contato com o delegado geral para informar que, apesar da transição no Ministério da Saúde, foi realizada uma articulação que vai permitir que todos os servidores do sistema de segurança pública de Roraima sejam vacinados.

“Foi-nos repassado que o governador Antonio Denarium e o secretário de Saúde, Marcelo Lopes, já foram comunicados da decisão. Essa informação nos dá mais esperança, pois vivemos tempos difíceis, em que muitos policiais, sejam da Polícia Civil ou de outras forças de segurança, têm adoecido. Então, ficamos mais tranquilizados e convictos, pois entendemos que a cura para essa enfermidade é a vacina”, enfatizou.

DADOS - Desde o início da pandemia em março de 2020, até 16 de março deste ano, dos 1.108 servidores que prestam serviços na Polícia Civil entre policiais efetivos, da área administrativa e da União, 510 pessoas foram infectadas com o vírus. Destas, 21 foram reinfectadas, 24 foram internados e cinco foram a óbito. Dos servidores que foram a óbito, dois são agentes de polícia, um perito criminal e dois servidores do quadro da União.