Segunda, 14 Setembro 2020 21:28

Polícia Civil prende acusado de violência sexual contra o sobrinho

Polícia Civil prende acusado de violência sexual contra o sobrinho Ascom/Polícia Civil

Uma investigação da Polícia Civil por meio do NPCA (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente), após um pedido de ajuda de um adolescente de 14 anos, que desde os 10 anos vinha sofrendo violência sexual, levou a prisão do programador de sistema A. M. S., de 42 anos, casado com uma tia do garoto.

A denúncia chegou ao conhecimento do NPCA depois que o adolescente procurou a escola onde estuda, na semana passada, mesmo sem aula, para pedir ajuda. A unidade de ensino acionou o Conselho Tutelar.

De acordo com a delegada titular do NPCA, Catherine Aires Saraiva, logo que o Conselho Tutelar tomou conhecimento da violência sexual que o menino vinha sofrendo, desde os 10 anos de idade, procurou o Núcleo, onde foi registrado o BO (Boletim de Ocorrência).

Nas declarações o adolescente, hoje com 14 anos, contou que um tio dele, casado com irmã de sua mãe, sempre que estavam sozinhos, o homem o molestava sexualmente.
Além de abusar do garoto, o acusado também fotografava e filmava a violência sexual. 

De acordo com a delegada, em uma das vezes, o acusado consumou o estupro e, inclusive, por causa dessa relação o menino começou a “defecar sangue”. Com medo de que pudesse estar com câncer, o garoto foi até sua escola e conversou com os diretores que desconfiaram que ele estivesse sofrendo violência sexual e acionaram o Conselho Tutelar.

“O homem além de cometer a violência sexual ainda fazia ameaças e pedia que o garoto não contasse a ninguém. Com medo de que o pai pudesse querer se vingar do acusado e se prejudicar, o garoto se manteve calado”, relatou Catherine.

Conforme a delegada, diante do crime praticado, foi solicitada a prisão preventiva do acusado. A Justiça decretou a prisão dele que foi cumprida na manhã desta segunda-feira (14), no bairro Pintolândia. O acusado foi qualificado e interrogado no NPCA, pela delegada Catherine Saraiva, mas negou as acusações. Ele foi encaminhado para exame de integridade física no IML (Instituto Médico Legal) e, posteriormente, encaminhado ao Sistema Prisional.

A delegada alerta aos pais para que evitem deixar seus filhos sozinhos na companhia de outras pessoas.

“Estejam atentos ao comportamento das crianças, buscando sempre conversar com elas. Mas nunca em tom ameaçador, o que pode lhes trazer medo. Importante observar que a violência sexual, na maioria das vezes, é praticada por pessoas próximas às vítimas”, disse a delegada.

O estupro de vulnerável está previsto no artigo 217-A do Código Penal e consiste em ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos. A pena prevista para esses tipos de crimes é de 8 a 15 anos de reclusão.