Quarta, 03 Junho 2020 22:11

Medicamento é apreendido no Jundiá e delegado pede à Justiça que seja destinado a Rede Pública de Saúde

O medicamento foi apresentado na Delegacia de Rorainópolis O medicamento foi apresentado na Delegacia de Rorainópolis Ascom/Polícia Civil

O motorista de caminhão R. S. M., de 25 anos, foi autuado em flagrante na Delegacia da Polícia Civil de Rorainópolis, na manhã desta quarta-feira, dia 03, por transporte irregular de medicamentos de origem ignorada. Ele foi preso durante uma fiscalização da Polícia Rodoviária Federal, no posto do Jundiá, na noite de ontem, com um carregamento de 42 caixas de Azitromicina e 40 caixas de Ivemectina, medicamentos que vêm sendo empregados no combate ao novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com informações prestadas pelo delegado Cid Guimarães, os policiais rodoviários federais realizavam o controle de entrada de veículos e de pessoas no posto de fiscalização do Jundiá, quando o motorista foi abordado e demonstrou bastante nervosismo. Foi realizada uma revista no veículo e o medicamento foi localizado por trás da cabine do motorista. O medicamento estava sem medidas corretas de acondicionamento, conforme prevê a legislação, em desacordo com a Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) e o motorista não tinha autorização para o transporte.

Inicialmente o suspeito chegou a dizer que tinha receita e nota fiscal, mas depois negou. Disse que comprou o medicamento numa farmácia no Centro da cidade de Manacapuru, Interior do Amazonas e que não lhe exigiram prescrição médica.

Ainda segundo o acusado, essa seria a segunda vez que trazia medicamentos para vender em Boa Vista e, também para distribuir para alguns amigos, pois teria sido informado que tais itens estariam em falta nas farmácias de Boa Vista. Ele afirmou que trouxe um carregamento menor para Roraima, pela primeira vez, na semana anterior.

O motorista foi autuado em flagrante pelo crime de transporte irregular de medicamento de origem ignorada, previsto no artigo 273, parágrafo 1º B, Inc. V e parágrafo 2º do Código Penal Brasileiro, pagou fiança arbitrada pelo delegado no valor de R$ 2 mil e vai responder ao procedimento em liberdade.

Todo o medicamento foi apresentado na Delegacia de Rorainópolis e apreendido. O delegado Cid Guimarães encaminhou ofício à Justiça para que o medicamento seja destinado à rede pública de Saúde do município de Rorainópolis e aguarda decisão.