Sexta, 01 Outubro 2021 18:17

Polícia Civil apreende adolescente que participou de Tribunal de crime de jovem

A investigação da Polícia Civil aponta que a vítima era companheira do adolescente A investigação da Polícia Civil aponta que a vítima era companheira do adolescente Ascom/Polícia Civil
A Polícia Civil por meio do SIOP (Seção de Investigação e Operação) do DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa), DGH (Delegacia Geral de Homicídios) e DRACO (Distrito de Repressão a Ações Criminosas Organizadas) apreendeu na manhã desta quinta-feira (30), um adolescente de 17 anos, apontado como participante do tribunal de crime da jovem A. K. S. S., de 18 anos. Ele era companheiro da jovem e foi um dos autores da tentativa de homicídio contra ela, ocorrido na noite de domingo (26).
 
A jovem levou mais de 20 golpes de faca e conseguiu pedir ajuda após fingir que estava morta e ser abandonada num matagal pelos autores do crime. Dois deles foram presos em flagrante na madrugada e manhã de segunda-feira (27). Eles foram autuados em flagrante por crime de sequestro em cárcere privado, tortura e tentativa de homicídio qualificado.
 
O CASO -De acordo com o diretor do DHPP, delegado Marcos Lázaro, a Polícia Civil vinha investigando o desaparecimento da vítima, que foi registrado na Central de Flagrantes por familiares que se deslocaram de Manaus à Boa Vista em busca de ajuda para localizá-la. Familiares da vítima relataram que ela havia sido sequestrada por integrantes de uma facção e que estava morta. O desaparecimento dela vinha sendo investigado por agentes da DGH e do NIDP (Núcleo de Investigação de Pessoa Desaparecida).
 
No início da noite de domingo, policiais Militares foram acionados por familiares da vítima, que conseguiu escapar após ser esfaqueada. Ela se fingiu de morta e após ser abandonada pelos autores do crime, conseguiu se arrastar, atravessou um igarapé que fica na divisa entre os bairros Centenário, São Bento e Aracelis e pediu socorro em uma residência. Na ocasião ela conseguiu fazer contato com familiares e disse onde estava.
 
ENVOLVIDOS NO CRIME – A investigação da Polícia Civil aponta que a vítima era companheira do adolescente de 17 anos e morava em Boa Vista com ele. Ela chegou a comentar com os amigos dele que conhecia integrantes de uma facção rival que moram em Manaus. Depois disto, os amigos do adolescente e que integram uma facção em Riraima fizeram uma reunião, chamada de “Sintonia”, em que decidiram a vida da garota e o veredito foi de matá-la e que o próprio adolescente deveria ser uma das pessoas a cometer o crime. Antes de ser esfaqueada, a garota foi sequestrada, torturada e passou por três em cativeiros e afirmou ter sido estuprada em um deles.
 
O adolescente e outros comparsas, integrantes da facção, levaram a jovem até um matagal, onde o adolescente a desmaiou com um golpe chamado “mata leão”. Depois ela foi esfaqueada e quando consideraram que estava morta, arrastaram-na pelos cabelos e abandonaram o corpo no matagal, fugindo em seguida.
 
No andamento das investigações e com informações repassadas pela vítima, os policiais da DGH e uma equipe da Polícia Militar conseguiram prender na madrugada de segunda-feira (27) D. P. R. A., apelidado de “Caveirinha” de 18 anos. Pela manhã, na continuidade das diligências, os policiais da DGH prenderam R. S. R., apelidado de “Gordinho”, de 27 anos, apontado como sendo autor do estupro da jovem enquanto era mantida em cativeiro.
 
Como o adolescente não foi apreendido no dia, o diretor do DHPP, Marcos Lázaro representou por sua apreensão na Justiça, que deferiu nesta quinta-feira. Os policiais diligenciaram e o apreenderam no bairro Aracelis.
 
O Adolescente foi ouvido e confessou sua participação no crime e revelou que participou também de um homicídio ocorrido no município de Rorainópolis, no ano de 2020.
 
Marcos Lázaro afirmou que desde segunda-feira, tem o prazo de dez dias para relatar o procedimento a ser encaminhado à Justiça. Neste período, destaca, diligências continuam em andamento para localizar mais três pessoas que também participaram do crime. Afirmou também que todos os suspeitos foram identificados.