Sexta, 24 Setembro 2021 20:00

Polícia Civil intensifica ações e prende quatro proprietários de “Ferros Velhos” por receptação qualificada de fios elétricos

Somente neste ano foram registrados aproximadamente 92 Boletins de Ocorrências de furtos de objetos identificados como fios e cabos Somente neste ano foram registrados aproximadamente 92 Boletins de Ocorrências de furtos de objetos identificados como fios e cabos Ascom/Polícia Civil
Uma investigação coordenada pelo 3° DP (Distrito Policial), com apoio de policiais do GRI (Grupo de Resposta Imediata) e NI (Núcleo de Inteligência) resultou na prisão em flagrante de quatro pessoas ao longo desta quinta-feira (23), por crime de receptação qualificada pelo comércio, de fios elétricos.
 
A investigação foi presidida pela delegada titular do 3° DP, Simone Arruda. Ela explica, que os policiais civis estavam realizando a investigação de furtos de fios elétricos de comércios e residências em razão de ordem de missão expedida no GRI, onde os ladrões subtraíram os fios de estação de distribuidora de energia para a residência ou comercio
 
“A investigação iniciou por meio de um boletim de ocorrência, mas durante um levantamento dos policiais foi constatado que somente neste ano foram registrados aproximadamente 92 Boletins de Ocorrências de furtos de objetos identificados como fios e cabos elétricos/telefônicos, e no ano de 2020 ultrapassou a quantia de 130 Boletins de Ocorrências”, ressaltou.
 
A delegada observa que no caso investigado não foram localizados os autores dos furtos, mas a investigação teve continuidade no sentido de identificar possíveis receptadores dos fios elétricos.
 
LEI ESTADUAL - Simone Arruda informou que durante a investigação foi analisado a existência da Lei Estadual nº 1099/2016, onde apresenta obrigações às oficinas, sucatas ou ferros-velhos de manter livros de registros nos quais constem informações quanto aos fornecedores de material adquirido.
 
“Durante a investigação nenhum dos conduzidos apresentaram o referido documento exigido por lei”, afirmou.
 
Na manhã desta quinta-feira, ao realizar a intimação de proprietários de empresa formal/informal de sucatas, em quatro estabelecimentos foram localizados vários fios elétricos desencapados e encapados.
 
Numa empresa informal localizada na rua rio Uailã, no bairro Araceles Soutto Mayor, pertencente a N. P. S., de 52 anos, foram localizados fios elétricos de várias bitolas. No local os policiais apreenderam cinco sacos, com aproximadamente 200 quilos de metal.
 
Ao solicitar comprovação da origem do material, o acusado informou não possuir e disse que adquire de várias pessoas. Segundo ele, o material é revendido para um atravessador que leva para o Estado do Amazonas;
 
Os policiais estiveram ainda numa empresa formal de sucata, localizada na Rua Abonari, no bairro São Bento, pertencente a A. A. B., de 50 anos, e no depósito foram localizados quatro rolos de fios de alumínio.
 
“Esse material é usado em ligações de energia elétrica da concessionária para o consumidor, seja residencial ou empresarial. Ou seja, as vítimas dos furtos”, disse a delegada.
 
Os policiais estiveram ainda na Rua Universo, no bairro Raiar do Sol, no estabelecimento pertencente a R. G. M. J., de 46 anos, onde ele foi preso. A empresa estava em situação irregular.
 
Foram localizados seis sacos de fios elétricos encapados, com aproximadamente 90 quilos. No momento da abordagem quem estava no local era a esposa dele. O casal não apresentou livro de registro de quem efetuou a venda do material. O acusado possui caminhão próprio para o transporte do material para Manaus e já tem empresa fixa com quem faz negócio.
 
O último estabelecimento em que os policiais fizeram diligências pertence ao venezuelano V. J. Z., de 40 anos, localizado na Rua José Feliz Correia, no bairro Operário. Trata-se de um local de compra e venda clandestina de sucata, onde foram localizados três sacos de fios elétricos encapados, totalizando aproximadamente 55 quilos.
 
O estrangeiro também não apresentou documentos de funcionamento e nem da aquisição do material encontrado. Ele informou que estava juntando o material para revender para outro estabelecimento de sucata.
 
“É importante alertar aos comerciantes, donos de ferros velhos e de sucatas que a Polícia Civil está atenta e vai cumprir a Lei Estadual nº 1099/2016. É necessário que os livros dos estabelecimentos constem os registros de aquisição deste material, de forma que eles possam comprovar a origem, tenham notas. Caso contrário podem ser presos por crime de receptação. Agindo dentro da legalidade, os comerciantes estarão se protegendo, protegendo seu negócio e à sociedade, vez que muitos cidadãos têm sido vítimas de furtos de fios elétricos”, disse a delegada.
 
Contra os quatro homens foram lavrados APF (Auto de Prisão em Flagrante) por crime de receptação qualificada pelo comércio, de fios elétricos. No final da tarde eles foram encaminhados à Custódia da Polícia Civil e serão apresentados nesta sexta-feira (24) à Audiência de Custódia.