Quinta, 05 Dezembro 2019 20:11

NORMANDIA Polícia prende homem acusado de abusar da própria filha

NORMANDIA  Polícia prende homem acusado de abusar da própria filha Polícia Civil

Agentes do Setor de Operações da Delegacia de Normandia cumpriram na tarde desta quarta-feira, dia 04, um mandado de prisão preventiva em desfavor de Abel Cipriano da Silva, de 38 anos, pela prática de estupro de vulnerável. A vítima a própria filha, de 12 anos à época. A prisão foi representada pelo Ministério Público conveniência da instrução criminal e para assegurar a aplicação da lei penal.
Abel foi encontrado pelos policiais na Fazenda Novo Destino, dentro da Comunidade Indígena Jacarezinho, localizada no município de Normandia. Ele não ofereceu resistência à prisão. A ação foi coordenada pela delegada Carol Fernandes.
Os fatos denunciados pelo Ministério Público apontam que o crime ocorreu em 2012 e somente foram descobertos quando a menor, já não suportando tantos abusos, contou para um tio que a encaminhou para as autoridades competentes.
De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual, a base para expedição do mandado de prisão, é o fato de Abel ter por diversas vezes abusado sexualmente de sua filha. O documento afirma que o pai utilizava-se de artifícios para ficar sozinho com a menina e praticar o abuso.
“Em uma das vezes, a adolescente estava dormindo na rede, dentro de casa, e seu pai a pegou a força. Que nesta ocasião sua mãe estava para Boa Vista e a menor estava apenas na companhia de seu genitor. [...] Em outra tentativa, seu genitor bateu em sua irmã para que ela dormisse no intuito de manter relação sexual”, relata o documento.
O MP alega ainda que apesar estar embriagado na maioria das vezes em que estuprou a filha, Abel sempre esteve ciente da ilicitude de sua conduta. O acusado faltou a audiências na Justiça e, segundo o Ministério Público, de um lado, o só fato de o denunciado menosprezar a gravidade dos ataques e a possibilidade de fuga para o país vizinho, na Guiana, foi representada pela prisão preventiva por conveniência da instrução criminal e para assegurar a aplicação da lei penal.
Após a formalização de sua prisão, o acusado foi recambiado para Boa Vista e submetido a exame de integridade física no Instituto de Medicina Legal (IML). Posteriormente ele foi encaminhado para o sistema prisional.