Quarta, 27 Novembro 2019 21:25

COMBATE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: Polícia Civil deflagra Operação Marias e cumpre 18 mandados de prisão

COMBATE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: Polícia Civil deflagra Operação Marias e cumpre 18 mandados de prisão Polícia Civil

A Polícia Civil de Roraima deflagrou na manhã desta quarta-feira, 27, a Operação “Marias” contra a violência doméstica e crimes contra dignidade sexual. Foram cumpridos 18 mandados de prisão, sendo sete preventiva e onze por sentença condenatória de violência doméstica e crimes sexuais, inclusive contra vulneráveis. Um mandado de prisão foi cumprido agora à tarde no Rio Grande do Sul.
O resultado dos trabalhos foi anunciado durante uma coletiva na tarde desta quarta-feira, dia 27, pelo delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso, a diretora do DPE (Departamento de Polícia Especializada), Elivânia Aguiar e o diretor do DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa), que está respondendo pelo DPJI (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), Maurício Nentwig. Também foi anunciada uma ação realizada no Sul do Estado, para esclarecer a morte da jovem Viviane da Silva Formoso, de 24 anos, sequestrada no dia 29 de agosto, morta no dia 30, cujo corpo foi encontrado no dia 31, na vicinal 34, uma área rural de Rorainópolis.
A operação Marias foi coordenada pela diretora do DPE (Departamento de Polícia Especializada), Elivânia Aguiar. De acordo com ela, aproximadamente 30 policiais foram envolvidos na ação que ocorreram na capital e no Interior, tais como Bonfim, Cantá e Caracaraí. Uma prisão foi realizada na cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, com apoio da Polícia Civil daquele Estado.
Atuaram em conjunto com o DPE, policiais da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), NPCA (Núcleo de Proteção a Criança e Adolescente), Polinter (Polícia Interestadual), do Plantão Diferenciado, do GRI (Grupo de Resposta Imediata) e Central de Flagrantes.
Segundo a diretora, Elivânia Aguiar, dos sete mandados de prisões preventivas, quatro são por violência doméstica e três por crimes de estupro de vulneráveis. Quanto aos mandados por sentenças condenatórias, cinco são por crimes de estupro de vulnerável, um por corrupção de menor e cinco por violência doméstica.
De acordo com o delegado Herbert de Amorim Cardoso, durante reunião do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia foi decidido que as delegadas de Polícia da Mulher deveriam se reunir para definirem estratégias de ações mais efetivas no combate à violência doméstica no país.
Com isso foi realizado o Fórum Permanente de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, ocorrido em Brasília nos dias 30 e 31 de outubro, que definiu a realização da Operação Marias, cuja ação foi deflagrada hoje em vários estados brasileiros e está inserida na programação alusiva aos “16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra a Mulher”.
O nome da operação Marias faz referência à Maria da Penha Maia Fernandes, vítima de violência doméstica, referencial na luta em defesa dos direitos das mulheres e cujo nome é emprestado à lei “Maria da Penha”, uma ferramenta fundamental no combate à violência doméstica de familiar.