Quarta, 04 Setembro 2019 23:55

Acusado de Exercício Ilegal da Profissão de dentista é preso pela Polícia Civil

Acusado de Exercício Ilegal da Profissão de dentista é preso pela Polícia Civil Polícia Civil

Uma ação da equipe do 1º Distrito Policial em parceria com o CRO (Conselho Regional de Odontologia) resultou na prisão do venezuelano José Luis Aguirre Machado, de 33 anos, que estava exercendo a atividade ilegal de dentista e prestando serviços de regulagem de aparelhos ortodônticos e outros serviços restritos a cirurgiões dentistas. A ação aconteceu na manhã desta-quarta-feira, dia 4, numa sala localizada na Rua Araújo Filho, no Centro.
A denúncia da atuação do venezuelano partiu do CRO, que solicitou apoio da Polícia Civil para acompanhar as diligências no local, que passou por uma inspeção. Durante os trabalhos, foi constatado que não havia condições sanitárias na sala de atendimento, colocando em risco a saúde dos usuários.
Foram apreendidos acessórios como ligas e fios de aparelhos de uso odontológicos, que estavam acondicionados em uma embalagem de plástico, além de medicamentos para esse fim. A cadeira usada para o atendimento odontológico era comum, inapropriada para o atendimento. Além dos equipamentos de uso restrito de dentistas, o acusado usava alicates para unhas, tesourinhas comuns e até uma turquesa para realizar os serviços, totalmente inadequado aos protocolos ortodônticos.
No local que funcionava o gabinete odontológico, havia um banner utilizado pelo acusado, com divulgação dos serviços prestados.
O venezuelano foi levado ao 1º DP, onde confessou que está em Roraima há dois meses e que alugou o espaço para fazer os atendimentos. Disse que não é formado em odontologia, mas que realizou um curso de apenas um mês na Venezuela, há uns seis anos e que trabalhava nesta área naquele País. Como veio para o Brasil, passou a exercer essa profissão.
O acusado disse ainda que nunca fez “extração de dentes”, mas que trabalhava com limpeza e regulagem de aparelhos ortodônticos e troca de acessórios, cobrando o valor de R$ 100,00 por esse serviço.
Contra o venezuelano, foi lavrado um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) pelo delegado Emerson Luis Freire, por exercício ilegal da profissão de dentista, médico ou farmacêutico, previsto no artigo 282 do CPB (Código Penal Brasileiro), que prevê pena de detenção de seis meses a dois anos. Ele vai responder ao procedimento em liberdade.