Quarta, 07 Agosto 2019 19:32

"TRIBUNAL DO CRIME" Forças integradas prendem quadrilha acusada de cometer homicídio

"TRIBUNAL DO CRIME"  Forças integradas prendem quadrilha acusada de cometer homicídio Fotos: Raimundo Lima/Secom

As equipes de Inteligência das Forças de Segurança do Estado em diligências continuadas identificaram a participação de mais cinco pessoas acusadas de envolvimento na morte do adolescente Josué Oliveira da Silva, 16 anos, que era autista. O crime ocorreu no dia 16 de julho.

A vítima foi encontrada numa área de lavrado próximo a um balneário conhecido como Urubuzinho, que fica no entorno do Anel Viário, na RR-205, degolada e quase decapitada pelos autores do homicídio

A Dicap (Divisão de Inteligência e Captura) em parceria com a Polícia Militar e Polícia Civil prenderam no mesmo dia - 16 de julho -, em flagrante Vitor Renan Cames, Felipe Rodrigues dos Santos, João Júlio de Jesus Passarinho, Talisson da Silva Costa, Victor Lucas Sobral Matos.

O APF (Auto de Prisão em Flagrante) dos acusados foi homologado pelo juiz e convertido em prisões preventivas, e os cinco envolvidos na morte devem responder por homicídio qualificado, organização criminosa e tráfico de drogas. As investigações continuaram e foram identificados outros envolvidos no crime.

A delegada que preside o inquérito, Eliane Gonçalves, representou pela prisão preventiva dos demais acusados e o pedido foi deferido pela Justiça.

Foram presos Jefferson Kairon Lima da Silva, 18 anos, Kelson Mylher Marques Sabini, 20 anos e Cláudio William dos Santos Furtado, 26 anos. 

Estão foragidos Werlyton Silva Santos, e um adolescente que não teve a identidade revelada.

Cada um participou a seu modo. Cada um com seu grau de culpabilidade. Todos os que estão presos são autores do crime, participaram de certa forma. Alguns presos confessaram e concederam detalhes de como o crime ocorreu, o que também nos auxiliou em novas provas. Isso é um exemplo de as polícias trabalhando unidades só temos resultados positivos”, disse Gonçalves.

A delegada acrescentou ainda que a vítima não participava do crime, ele era inocente, estava na praça foi abordado e tudo que perguntavam para ele, ele sorria e concordava e os integrantes de uma facção criminosa, achavam que ele fazia parte de uma facção rival e o levaram para uma casa onde passou pelo "tribunal do crime".

Para o comandante da Polícia Militar, coronel Elias Santana, o trabalho integrado tem garantido o combate efetivo da criminalidade. “Procedidos das investigações com auxílio da nossa Divisão de Inteligência e da DICAP permitiu que nós lográssemos êxito e fazer a prisão e desarticular essa quadrilha”, disse Santana.

Foi um crime bárbaro, que a gente não pode deixar sem resposta para sociedade, então a gente só vai descansar quando pegar os outros dois”, destacou o titular da Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania), André Ferreira.

Conforme o delegado Geral, Herber de Amorim Cardoso as investigações continuam, junto com a Draco [Delegacia de Repressão ao Crime Organizado] e com as forças de inteligências integradas, agindo para combater a atuação do crime organizado.

Não temos protagonistas, não temos heróis, estamos todos irmanados no combate ao crime que tanto está assolando nossa sociedade, e é isso que estamos procurando amenizar e reduzir mais ainda essa criminalidade”, disse o Cardoso.

Quem tiver informações sobre o Werlyton Silva Santos, pode denunciar pelo disque denúncia 181. A identidade será mantida em sigilo.